Coletek lança produtos e estima crescer
70%

Empresa, com planta em Minas, vai fabricar 4 periféricos na China.
TATIANA MORAES.
O desaquecimento econômico não afetou os negócios da Coleção Indústria e Comércio Ltda (Coletek), sediada em Varginha, no Sul de Minas Gerais. A previsão é que a empresa, fabricante de periféricos de computador, fature R$ 190 milhões em 2009. O montante é quase 70% superior ao registrado em 2008, quando movimentou R$ 112 milhões.

A projeção é sustentada pelo lançamento, neste mês, de quatro produtos para recepção de internet sem fio (rede wireless). Os equipamentos vão integrar o mix da linha C3 Tech, uma das marcas comercializadas pela empresa.

Segundo o gerente-geral, Charles Blagitz, os lançamentos chegarão ao consumidor final 15% mais baratos dos que os da concorrência. Para garantir preços competitivos, os primeiros lotes serão produzidos na China. "A fabricação nacional somente será iniciada a partir da aceitação do produto no mercado. Mão-de-obra chinesa é mais barata", justificou.
Além de ampliar a linha de periféricos, a Coletek desenvolveu um plano para melhorar as condições de pagamento dos 23 distribuidores da indústria. "Ampliamos o limite de crédito e estendemos os prazos para garantir as vendas", disse.

Investimentos - Mesmo antes da adoção das medidas, a Coletek já vinha apresentando boas vendas, conforme afirmou Blagitz. Frente ao bom desempenho, os investimentos planejados para este ano na ampliação física da planta de Varginha e no aumento da capacidade produtiva serão mantidos. O aporte será de R$ 1 milhão, sem recorrer a financiamento.

Segundo o gerente-geral, a fábrica saltará dos atuais 110 mil para 140 mil metros quadrados de área construída, ampliando em 15% a capacidade produtiva. "Possuímos dois galpões e estamos no limite. Vamos construir mais um pensando no futuro".

Atualmente, a Coletek emprega 500 funcionários, que trabalham em três linhas de montagem. Para ampliar a produção, a estimativa é de que pelo menos duas outras linhas sejam implantadas. Neste caso, o número de empregados deve saltar para 620, aproximadamente.

Em 2008, a empresa produziu mais de 1 milhão de mouses, 1,280 milhão de fontes, 780 mil webcams e 80 mil gabinetes.


Demanda - Foi a crescente participação das classes C, D e E no mercado consumidor tecnológico que levou a Coletek a ampliar o mix de produtos - equipamentos para recepção de internet sem fio.

De acordo com o gerente-geral, Charles Blagitz, os equipamentos para acessowireless têm tecnologia desenvolvida pela empresa e integrarão a linha C3 Tech, uma das quatro marcas comercializadas pela Coletek. A fabricação, no entanto, será feita na China. "Vamos esperar a aceitação dos produtos pelo mercado nacional para que iniciemos a produção em Varginha", comentou.

Ele garantiu que os produtos, mesmo sendo fabricados na China, têm alta qualidade. Porém, não possuem todas as funções e acessórios encontrados em itens semelhantes do mercado, motivo por que o preço na ponta da cadeia consumidora será inferior ao praticado pela concorrência.

"Retiramos funções desnecessárias ao usuário básico. Assim, conseguimos diminuir o preço sem alterar a funcionalidade do produto para o público a que ele é destinado", garantiu.

No primeiro lote, conforme Blagitz, serão importadas 5 mil unidades de cada produto - ao todo são quatro modelos. Com os novos equipamentos, ele acredita que a linha C3 Tech passe a representar 40% do faturamento total da Coletek. Atualmente, a linha responde por 30% da receita.

As peças serão distribuídas para todo o país por meio de 23 distribuidores e poderão ser encontradas em aproximadamente 40 mil pontos-de-vendas. A previsão do gerente-geral é de que o alcance da nova linha acompanhe o atual mercado consumidor da empresa. São Paulo absorve 44% dos produtos. Em segundo lugar vem Minas Gerais, com 23%.

Fonte: http://www.diariodocomercio.com.br/?edicaoId=520